Carregando...

TimelineJS
Fonte de Dados: SISTEC
Fonte de Dados: SISTEC
Fonte de Dados: SISTEC
Fonte de Dados: SISTEC

*Os conceitos dos indicadores aqui apresentados, bem como suas fórmulas de cálculo, podem ser encontrados no Manual para Cálculo dos Indicadores de Gestão das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica.

*Os conceitos dos indicadores aqui apresentados, bem como suas fórmulas de cálculo, podem ser encontrados no Manual para Cálculo dos Indicadores de Gestão das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica.

*Os conceitos dos indicadores aqui apresentados, bem como suas fórmulas de cálculo, podem ser encontrados no Manual para Cálculo dos Indicadores de Gestão das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica.

*Os conceitos dos indicadores aqui apresentados, bem como suas fórmulas de cálculo, podem ser encontrados no Manual para Cálculo dos Indicadores de Gestão das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica.

*Os conceitos dos indicadores aqui apresentados, bem como suas fórmulas de cálculo, podem ser encontrados no Manual para Cálculo dos Indicadores de Gestão das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica.
*Os conceitos dos indicadores aqui apresentados, bem como suas fórmulas de cálculo, podem ser encontrados no Manual para Cálculo dos Indicadores de Gestão das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica.
*Os conceitos dos indicadores aqui apresentados, bem como suas fórmulas de cálculo, podem ser encontrados no Manual para Cálculo dos Indicadores de Gestão das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica.
*Os conceitos dos indicadores aqui apresentados, bem como suas fórmulas de cálculo, podem ser encontrados no Manual para Cálculo dos Indicadores de Gestão das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica.
*Os conceitos dos indicadores aqui apresentados, bem como suas fórmulas de cálculo, podem ser encontrados no Manual para Cálculo dos Indicadores de Gestão das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica.
*Os conceitos dos indicadores aqui apresentados, bem como suas fórmulas de cálculo, podem ser encontrados no Manual para Cálculo dos Indicadores de Gestão das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica.
*Os conceitos dos indicadores aqui apresentados, bem como suas fórmulas de cálculo, podem ser encontrados no Manual para Cálculo dos Indicadores de Gestão das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica.
*Os conceitos dos indicadores aqui apresentados, bem como suas fórmulas de cálculo, podem ser encontrados no Manual para Cálculo dos Indicadores de Gestão das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica.
*Os conceitos dos indicadores aqui apresentados, bem como suas fórmulas de cálculo, podem ser encontrados no Manual para Cálculo dos Indicadores de Gestão das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica.
*Os conceitos dos indicadores aqui apresentados, bem como suas fórmulas de cálculo, podem ser encontrados no Manual para Cálculo dos Indicadores de Gestão das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica.

O ingresso para cursos técnicos no IFB acontece por meio de sorteio público. O sorteio é previsto no PPI da instituição e funciona também como uma ação afirmativa, visando oportunizar condições iguais aos candidatos.

Abaixo o histórico do ingresso para os cursos técnicos:

2009

Forma de ingresso por meio de provas de caráter avaliativo, com ações afirmativas:

- 20% das vagas para candidatos oriundos de escolas públicas da zona rural;

- 30% das vagas para candidatos oriundos de escolas públicas.

2010

Forma de ingresso por meio de sorteio, sem reserva de vagas.

2011

Forma de ingresso por meio de sorteio, sem reserva de vagas.

2012.1

Forma de ingresso por meio de sorteio eletrônico, com ações afirmativas:

- reserva de vagas para candidatos da agricultura familiar ou que cursaram os 3 últimos anos do Ensino Fundamental integralmente em escola rural;

- reserva de vagas para Quilombolas, Negros e Indígenas;

- reserva de vagas para Pessoa com Necessidade Específica (PNE); e

- nos campi : reserva de vagas para egressos de cursos de Formação Inicial e Continuada, com itinerário formativo.

2012.2

Forma de ingresso por meio de sorteio eletrônico, com ações afirmativas:

- reserva de vagas para candidatos que cursaram o Ensino Fundamental integralmente em Escola Pública, com renda per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo (um salário mínimo e meio) e autodeclarados pretos, pardos ou indígenas;

- reserva de vagas para candidados que cursaram o Ensino Fundamental integralmente em Escola Pública, com renda per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo (um salário mínimo e meio);

- reserva de vagas para candidatos que cursaram o Ensino Fundamental integralmente em Escola Pública, com renda per capita superior a 1,5 salário mínimo (um salário mínimo e meio) e autodeclarados pretos, pardos ou indígenas;

- reserva de vagas para candidatos que cursaram o Ensino Fundamental integralmente em Escola Pública, com renda per capita superior a 1,5 salário mínimo (um salário-mínimo e meio);

- reserva de vagas para PNE.

2013.1

Forma de ingresso por meio de sorteio eletrônico, com ações afirmativas:

- reserva de vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino fundamental e médio em escolas públicas;

- reserva de vagas para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário-mínimo que tenham cursado integralmente o ensino fundamental e médio em escolas públicas;

- reserva de vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino fundamental e médio em escolas públicas;

- reserva de vagas para candidatos que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino fundamental e médio em escolas públicas;

- reserva de vagas para portadores de necessidades especiais (PNE);

- reserva de vagas para as alunas concluintes dos Cursos FICs – Mulheres na Construção ministrado no Câmpus Samambaia do IFB.

A partir de 2013.2

Forma de ingresso por meio de sorteio eletrônico, com ações afirmativas:

- reserva de vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário-mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino fundamental e médio em escolas públicas (EP/PPI/R);

- reserva de vagas para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário-mínimo que tenham cursado integralmente o ensino fundamental e médio em escolas públicas (EP/R);

- reserva de vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino fundamental e médio em escolas públicas (EP/PPI);

- reserva de vagas para candidatos que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino fundamental e médio em escolas públicas.(EP);

- reserva de vagas para portadores de necessidades especiais (PNE); e

- para os cursos em regime de alternância: reserva de vagas para candidatos da agricultura familiar (AF).

Com a publicação da Lei 12.711/2012, o IFb adotou as ações afirmativas elencadas no texto da lei e as determinações da Portaria Normativa MEC nº 18 de 11 de outubro de 2012, Decreto 7.824 de 11 de outubro de 2012 e Decreto nº 3.298 de 20 de dezembro de 1999.

As vagas são distribuídas da seguinte forma:

a. Ampla concorrência (AC) [aproximadamente 35%]

b. Reserva de vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário-mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino fundamental em escolas públicas (EP/PPI/R) [aproximadamente 17,1%]

c. Reserva de vagas para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário-mínimo que tenham cursado integralmente o ensino fundamental em escolas públicas (EP/R) [aproximadamente 12,9%]

d. Reserva de vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino fundamental em escolas públicas (EP/PPI) [aproximadamente 17,1%]

e. Reserva de vagas para candidatos que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino fundamental em escolas públicas (EP) [aproximadamente 12,9%]

f. Reserva de vagas para pessoa com deficiência (PCD) [aproximadamente 5%]

g. Reserva de Vagas Institucional, para atender os arranjos produtivos locais, por exemplo, o público provido da agricultura familiar [aproximadamente 15%]

Obs.: As alíneas “b”, “c”, “d” e “e” somam 60%

*Os conceitos dos indicadores aqui apresentados, bem como suas fórmulas de cálculo, podem ser encontrados no Manual para Cálculo dos Indicadores de Gestão das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica.

O IFB iniciou a oferta de cursos superiores em 2009, com o curso Superior de Tecnologia em Agroecologia ( Resolução 14/2009).

A seleção dos alunos iniciou-se via vestibular, e, em 2011 a Instituição diversificou a seleção, com percentual de vagas ao vestibular e ao SISU.

2009.2 a 2010.2

Forma de ingresso por meio de vestibular, sem reserva de vagas.

2011.1 e 2011.2

Forma de ingresso por meio de vestibular e Sisu, com ações afirmativas:

- escola pública; e

- produtores rurais ou filhos de produtores rurais.

2012.1

Forma de ingresso por meio de vestibular e nota do Enem, com ações afirmativas:

- escola pública;

- agricultura familiar ou que cursaram o Ensino Médio em escola rural;

- quilombolas, indígenas e negros;

- pessoas com deficiência;

2012.2

Forma de ingresso por meio da nota do Enem e SISU, com ações afirmativas:

- escola pública;

- agricultura familiar ou que cursaram o Ensino Médio em escola rural;

- quilombolas, indígenas e negros;

- pessoas com deficiência;

A partir de 2013

Forma de ingresso por meio da nota do Enem e SISU, com ações afirmativas definidas pela Lei nº 12.711/2012 e determinações da Portaria Normativa MEC nº 18 de 11 de outubro de 2012, Decreto 7.824 de 11 de outubro de 2012 e Decreto nº 3.298 de 20 de dezembro de 1999.

As vagas são distribuídas da seguinte forma:

a. Ampla concorrência (AC) [aproximadamente 35%]

b. Reserva de vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário-mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino fundamental em escolas públicas (EP/PPI/R) [aproximadamente 17,1%]

c. Reserva de vagas para candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário-mínimo que tenham cursado integralmente o ensino fundamental em escolas públicas (EP/R) [aproximadamente 12,9%]

d. Reserva de vagas para candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino fundamental em escolas públicas (EP/PPI) [aproximadamente: 17,1%]

e. Reserva de vagas para candidatos que, independentemente da renda, tenham cursado integralmente o ensino fundamental em escolas públicas (EP) [aproximadamente 12,9%]

f. Reserva de vagas para pessoa com deficiência (PCD) [aproximadamente 5%]

g. Reserva de vagas institucional para atender os arranjos produtivos locais, por exemplo, o público provindo da agricultura familiar [aproximadamente 15%]

Obs.: As alíneas “b”, “c”, “d” e “e” somam 60%

O IFB, através do campus Brasília executou o programa do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR) em 2012 a 2014, oferecendo aos professores da Secretaria de Educação do Distrito Federal a Licenciatura em Dança como segunda licenciatura.

Desde 2011 a pesquisa no IFB tem demonstrado índices de crescimento, por meio de ações ou programas vinculados à pesquisa, tais como:

1) Programa Institucional de Iniciação Científica e Tecnológica - PIBIC/PIBITI;

2) Programa Progrupos e Edital 35/2011;

3) Fábrica de Ideias Inovadoras - FABIN;

4) Projeto Integrado de Pesquisa e Ação - PIPA.

Estes programas envolvem estudantes dos ensino médio e superior e servidores docentes e técnicos administrativos do IFB. O número de projetos aumentou em 6,38 vezes, tendo os anos de 2011 e 2016 como referencial. Os dados que se seguem demonstram a variação quanto ao número de projetos, ano a ano e relacionados aos programas supracitados:

a) 2011: 21 projetos;

b) 2012: 64 projetos;

c) 2013: 70 projetos;

d) 2014: 88 projetos;

e) 2015: 95 projetos; e

f) 2016: 134 projetos.

Ressalta-se que os números acima referem-se ao conjunto dos 10 campi do IFB. Quanto às parcerias, a PRPI destaca o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e a FAP-DF (Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal), como principais fomentadoras de bolsas de IC/IT, além do apoio destas em projetos de editais específicos (como demanda espontânea), com participação da comunidade do IFB. Ademais, cabe citar também a FINEP e a Fundação Banco do Brasil como parceiras no desenvolvimento da pesquisa institucional.

O desenvolvimento de ações sociais com temáticas inclusivas e de tecnologias sociais vêm sendo desenvolvidas no IFB e estimuladas por meio de editais. Em 2014, com o lançamento do Edital nº 060, houve o incentivo a realização de ações inclusivas de modo que este teve como uma de suas linhas temáticas a promoção da diversidade e inclusão de diversos tipos tais como a valorização da diversidade étnica para inclusão, permanência e aprendizagem, mulheres e relações de gênero, promoção e defesa dos direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais.

No ano de 2016 foi lançado o Edital nº 041 o qual apresentou “grupos vulneráveis” como uma das linhas temáticas, abrangendo questões de gênero, de etnia, de orientação sexual, de diversidade cultural, de credos religiosos, dentre outros, ao qual foram enviadas 8 propostas, e destas 7 foram aprovadas e estão previstas para serem executadas em 2017.

Além deste, em 2016 foram lançados os editais nº 047 e nº 048 que tiveram dentre os objetivos promover a inclusão social, a difusão, a socialização e a democratização dos conhecimentos e tecnologias produzidos. Ainda foi lançado em conjunto entre as Pró-reitorias de Ensino, Pesquisa e Extensão o Edital nº 019 que teve como uma de suas finalidades estimular o desenvolvimento de projetos de ação social (inclusão social e tecnologias sociais), preferencialmente para populações e comunidades em situação de risco.

Ainda em 2016 foi realizada parceira com a Fundação Cultural dos Palmares para execução de projetos referentes a implantação Núcleos de Formação de Agente Cultural da Juventude Negra no IFB. Houve também o financiamento de projetos com temáticas inclusivas e tecnológicas por meio do edital externo PROEXT/MEC/SESu nos anos de 2011, 2013, 2015 e 2016.

Ao mesmo tempo, por iniciativa dos próprios servidores dos diversos campi do IFB, ocorrem outras ações de extensão sem ligação a edital as quais atendem às áreas temáticas de extensão e demais objetivos e diretrizes.

Como exemplo de ações realizadas pelo IFB temos: Curso de Formação de Doulas, realizado em Ceilândia e São Sebastião; evento Sernegra que trata da diversidade racial e de gênero e vem sendo realizado anualmente desde 2012; projeto de extensão intitulado “Ações de enfrentamento à violência contra a mulher por meio da formação em relações de gênero de educadores e lideranças comunitárias e do empoderamento e organização das mulheres”; projeto “Inclusão digital e promoção social da terceira idade”, Projeto Mulheres Cheias de Graça, que visa oferecer preparação para a maternidade com qualidade às mulheres gestantes e às que se prepararam para a gestação; além de alfabetização e letramento para pessoas em vulnerabilidade social, desenvolvimento de metodologias inovadoras para inclusão de deficientes visuais, sendo o uso de impressora 3D uma delas; clube de leitura, cineclube e outras ações.

O NIT (Núcleo de Inovação Tecnológica) foi criado pela Resolução 009/2012 - Conselho Superior/IFB, tendo sua Regulamentação Interna instituída pela Portaria Normativa nº 008/2014/IFB. Assim, o NIT do IFB já se encontra implementado, cujas atividades não se limitam à natureza consultiva do NIT, como também desenvolve uma série de ações, tais como:

a) Reuniões ordinárias e extraordinárias com os representantes dos campi do IFB. Nestas reuniões são discutidas ações de médio e longo prazo, tais como a elaboração e aprovação da minuta da Política de Propriedade Intelectual do IFB, estabelecimento de áreas prioritárias para recebimento de fomento no âmbito do FABIN, elaboração e aprovação do regulamento do programa Fábrica de Ideias Inovadoras - FABIN, elaboração e aprovação de editais de fomento à inovação (FABIN), estabelecimento de estratégias de capacitação em PI voltada à comunidade acadêmica do IFB e outros. Nestas reuniões ainda são feitas as avaliações de projetos no âmbito do programa Fábrica de Ideias Inovadoras - FABIN.

b) Participação da coordenação do NIT em programa de capacitação em Transferência de Tecnologia e Licenciamento promovido pela Organização Mundial da Propriedade Intelectual em parceria com o INPI da França e a Universidade de Estrasburgo, com fomento do PNUD - Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. A capacitação permite a multiplicação do conhecimento, por meio do repasse das experiências vivenciadas. Além desta capacitação, a coordenação, com apoio financeiro da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal, manteve contato com pesquisadores da Universidade da Letônia, com o intuito de estabelecer tratativas com vistas à celebração de parceria nos campos da pesquisa e inovação tecnológicas, com intercâmbio de recursos humanos de ambas as partes.

c) Elaboração de plano de estímulo ao empreendedorismo que gerou a publicação de Chamada Interna para projetos oriundos do FABIN, com vistas ao apoio e capacitação na referida área, nos moldes de pré-incubação. Ressalta-se que foi estabelecida parceria com o Instituto Federal do Espírito Santo para que, em cooperação, tenhamos organizado e publicado a supracitada Chamada interna e para que, em 2017, venhamos a implementar o ambiente de empreendedorismo do IFB para pré-incubação e incubação de empresas inovadoras, de base mista.

d) Promoção de seminários que tratam do tema da Inovação e Propriedade Intelectual, para estudantes e servidores envolvidos no Programa Fábrica de Ideias Inovadoras.

Em 2016, em uma ação conjunta das Pró-Reitorias de Ensino, de Extensão e de Pesquisa e Inovação, foi lançado o programa PIPA (Projeto de Integração, Pesquisa e Ação). O programa PIPA tem como objetivos estimular o desenvolvimento de projetos de ação social, preferencialmente para populações e comunidades em situação de risco, contribuir para a formação intelectual, acadêmica e profissional dos estudantes, promover experiências exitosas que articulem ensino, pesquisa e extensão, estimular a produção, o desenvolvimento e a difusão de conhecimentos científicos, tecnológicos, socioculturais e de inovação tecnológica e intervir nos contextos comunitários locais por meio da interação do instituto com a comunidade e realizar eventos conjuntos ou integradores, incentivando ações de inserção socioprofissional dos discentes.

A Pró-reitoria de Extensão/PREX tem realizado vários eventos que promovem a interação entre vários institutos da rede federal, além de universidades e escolas do DF e entorno. A realização dos diversos eventos têm por finalidade sensibilizar o público, fomentar a reflexão sobre os assuntos abordados e proporcionar debates acerca das novas possibilidades de atendimento frente às novas demandas educacionais. Dessa forma, a PREX buscou discutir e disseminar informações essenciais para promover a melhoria do atendimento educacional ofertado aos estudantes. Abaixo segue a lista dos eventos realizados:

A proposta do V Fórum Distrital de Educação Profissional e Tecnológica Inclusiva (Fórum Distrital EPTI) dá sequência ao Projeto de Extensão desenvolvido em 2012, quando ocorreu a primeira versão do evento. A continuidade do projeto tem por objetivo dar evidência às ações de inclusão desenvolvidas pelo IFB e demais institutos da rede, permitindo a discussão dos principais desafios enfrentados na efetivação da inclusão e a busca de soluções conjuntas, além do compartilhamento das experiências exitosas na promoção da acessibilidade: acesso, permanência e êxito e divulgação de tecnologias assistivas criadas pela rede. O evento permite congregar as propostas de educação inclusiva da Rede Federal de Educação Profissional e, a partir daí, construir no IFB o caminho para transformá-lo em um centro de referência em Educação Profissional Tecnológica e Inclusiva.

O Sernegra dá sequência ao Projeto de Extensão iniciado em 2012. Em 2016 ocorreu a 5 º edição como título: V Semana de Reflexões sobre Negritude, Gênero e Raça (SERNEGRA: Decolonialidade e Antirracismo) que ocorreu entre os dias 20 a 23 de novembro de 2016 contou com a participação de mais de 600 pessoas de vários estados. A programação contou com diversas atividades culturais, palestras, oficinas, debates, além da apresentação de trabalhos científicos e a participação de pesquisadores e pesquisadoras de diversas instituições do Brasil em grupos de trabalho. A organização do evento e composta pelo Grupo de Pesquisa Estudos Culturais sobre Classe, Gênero e Raça - campus Brasília em conjunto com as Pró-reitorias de Extensão e de Ensino do IFB.

O VI Encontro Distrital de NAPNE do IFB foi realizado dentro do CONECTA IF este ano. Com o tema “Conquistas e Desafios à acessibilidade dos estudantes e servidores da rede federal”, através de mesas redondas, palestras e atividades culturais o evento abordou vários temas relativos ao atendimento das pessoas com necessidade específica.

O Encontro de Tradutores e Intérpretes de Libras do IFB está em sua 3ª edição, este ano foi realizado dentro do CONECTA IF. Com o tema “Atuação dos tradutores e intérpretes de Libras nas Instituições Educacionais”, o evento abordou a temática de formação dos tradutores e intérprete de libras além de apresentar tecnologias desenvolvidas pelo Instituto Politécnico do Porto/Portugal que promove a acessibilidade para as pessoas surdas.

Em agosto foi realizado a Jornada Nacional de Capacitação do Instituto Benjamim Constant em parceria com o IFB, com o objetivo de qualificar profissionais da educação na área da deficiência visual. Nesse contexto, foi realizado no campus Taguatinga o Curso de Extensão “Capacita Brasil”, com o objetivo de qualificar os servidores na área de deficiência visual e assim contribuir para um atendimento mais adequado e inclusivo aos estudantes com deficiência visual. Participaram servidores do IFB, da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal e de entidades que atuam com pessoas com deficiência.

O IFB realizou os Jogos dos Institutos Federais /JIF – Etapa Regional em 2015, e em 2016 realizou a Etapa Nacional, evento que contou com a representação da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica de todo o Brasil. Este evento é promovido pelo Governo Federal, através da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação. Os Jogos da Rede Federal de Ensino (JIFs Nacional) foram realizados no período de 04/10 a 09/10, Entre alunos atletas, professores e convidados, o número de participantes estimados para todo o evento alcança aproximadamente 1.500 pessoas de todos os Estados da União. Foram realizadas modalidades esportivas coletivas como: futebol, vôlei de praia, vôlei de areia, basquete, handebol, futsal e modalidades individuais como: judô, atletismo, natação, tênis de mesa e xadrez. O objetivo dos Jogos Federais é promover ampla mobilização da juventude estudantil em torno da democratização do Esporte e Lazer, educando o jovem pela prática desportiva escolar, difundindo e reforçando cada vez mais a construção da cidadania e os ideais do movimento olímpico, direcionados para a construção de um mundo melhor, mais pacífico, livre de qualquer tipo de discriminação e dentro do espírito de compreensão mútua, solidariedade e cultura da paz.

Em 2016 foi realizado o II Ciclo de Palestras em Educação Inclusiva, com 04 palestras nos campi do IFB e 02 entrevistas participativas. Essa ação contou com a participação da comunidade interna e externa de vários campi do IFB. O objetivo foi promover palestras sobre o atendimento específico aos alunos, bem como levar informações sobre diversidade, inclusão, gênero e raça. A escolha pelos temas abordados teve como finalidade sensibilizar o público, fomentar a reflexão sobre os assuntos abordados e proporcionar debates acerca das novas possibilidades frente às novas demandas educacionais.

Em 2016 iniciou-se a 1ª edição do Curso de Extensão Linguagem, Surdez e Inclusão Social. Objetivo: orientar os participantes sobre as especificidades que envolvem a surdez e a deficiência auditiva, orientação sobre a forma adequada de avaliação da escrita desses sujeitos. Público: servidores e estudantes da Licenciatura em Português/IFB e comunidade externa.

A Feira de Estágio e Emprego iniciou em 2015 na PREN e a partir de 2016 integrou os eventos da PREX. Tem por objetivo oportunizar espaço para empresas e agentes de integração ofertarem vagas de estágio, cadastrar currículos ou, até mesmo, realizarem processos seletivos. A Feira também é constituída de dimensão formativa composta por palestras e oficinas sobre o mundo do trabalho, como por exemplo: elaboração de currículos, comportamento em entrevistas, competências do trabalhador do século XXI. Tem por objetivos aproximar o IFB do mundo do trabalho pelo viés do estágio e proporcionar ao estudante a interação com empresas e agentes de integração.

A Conexão Empresarial iniciou 2015 e tem como finalidade receber empresários para alinhar os cursos ofertados pelo IFB a real necessidade do mundo do trabalho. Constitui-se em diálogos entre empresários, professores e gestores do IFB sobre o mercado de trabalho, o perfil do profissional que o IFB está formando e sobre a demanda de novos cursos.

O IFB aderiu ao Sistema Integrado de Monitoramento, Execução e Controle do Ministério da Educação (SIMEC), para tratar de questões relacionadas ao planejamento e orçamento federal para a área de educação.

O IFB também aderiu ao Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica (SISTEC), utilizado para o registro e controle dos dados relacionados aos cursos ofertados pela instituição.

O IFB aderiu ao sistema SIGA-EPT, entretanto, em 2012 a gestão decidiu não mais usar o sistema, pois este apresentava graves falhas de desenvolvimento e nos procedimentos de adaptação aos processos do instituto.Para realizar a transferência de dados, via digital, optou-se por usar sistema desenvolvido internamente, SGA - Sistema de Gestão Acadêmica.

Observamos que o sistema SIGA-EPT, como solução para toda a rede, não obteve sucesso e apenas 7 institutos o utilizam, os demais optaram por desenvolvimento próprio de solução ou adquiriram solução comercial para atendimento de suas demandas.

*Os conceitos dos indicadores aqui apresentados, bem como suas fórmulas de cálculo, podem ser encontrados no Manual para Cálculo dos Indicadores de Gestão das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica. Fonte: SISTEC.
*Os conceitos dos indicadores aqui apresentados, bem como suas fórmulas de cálculo, podem ser encontrados no Manual para Cálculo dos Indicadores de Gestão das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica. Fonte: SISTEC.
*Os conceitos dos indicadores aqui apresentados, bem como suas fórmulas de cálculo, podem ser encontrados no Manual para Cálculo dos Indicadores de Gestão das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica. Fonte: SISTEC.




Obs: Inclui servidores lotados e em exercício no IFB, lotados no IFB e com exercício em outro órgão e com exercício no IFB mas lotados em outro órgão.

Introdução

O “Faça Você Mesmo” é uma ferramenta que permite explorar o orçamento do IFB de forma fácil e rápida, com consultas gerenciais construídas por meio de procedimentos “clica e arrasta”, o que torna a construção de relatórios intuitiva e dinâmica.

Conceitos

A ferramenta é constituída de “atributos” e “métricas”. Neste contexto, atributos são todas as variáveis que caracterizam e tipificam a consulta e “métricas” são todas as variáveis que quantificam a consulta. Estão disponíveis as seguintes variáveis de atributos:

  • ANO
  • UGR_SIGLA (Sigla da Unidade de Gestão Responsável)
  • NO_UGR (Nome da Unidade de Gestão Responsável)
  • UGE_SIGLA (Sigla da Unidade de Gestão Executora)
  • NO_UO (Nome da Unidade Orçamentária)
  • NO_CATEGORIA_ECONOMICA (Nome da Categoria Econômica)
  • NO_GRUPO_DESPESA (Nome do Grupo de Despesa)
  • NO_ELEMENTO_DESPESA (Nome do Elemento de Despesa)
  • NO_SUBITEM (Nome do Subitem)
  • NO_ACAO_GOVERNO (Nome da Ação do Governo)
  • NO_NATUREZA_DESPESA (Nome da Natureza da Despesa)
  • NO_NATUREZA_DESPESA_DETALHADA (Nome da Natureza da Despesa Detalhada)
  • NO_PLANO_INTERNO (Nome do Plano Interno)
  • CLASSIFICACAO_IFB (Classificação utilizada no Painel de Gastos)

Já para as métricas estão disponíveis as seguintes variáveis:

  • DOTACAO_ATUALIZADA (Dotação Atualizada)
  • DESPESAS_LIQUIDADAS (Despesas Liquidadas)
  • DESPESAS_EMPENHADAS (Despesas Empenhadas)
  • DOTACAO_INICIAL (Dotação Inicial)
  • DOTACAO_SUPLEMENTAR (Dotação Suplementar)
  • DESPESAS_PAGAS (Despesas Pagas)
  • DESPESA ORÇAMENTÁRIA DO EXERCÍCIO (Despesa Orçamentária do Exercício)
  • CRÉDITO_DISPONÍVEL (Crédito Disponível)
  • PROVISAO_CONCEDIDA (Provisão Concedida)
  • PROVISAO_RECEBIDA (Provisão Recebida)
  • DESTAQUE_RECEBIDO (Destaque Recebido)
  • DESTAQUE_CONCEDIDO (Destaque Concedido)
  • RESTOS_A_PAGAR_PROCESSADOS_PAGOS (Restos a Pagar Processados Pagos)
  • RESTOS_A_PAGAR_NAO_PROCESSADOS_PAGOS (Restos a Pagar Não Processados Pagos)
  • CREDITO_INDISPONIVEL (Crédito Indisponível)
  • DESPESAS_PREEMPENHADAS_A_EMPENHAR (Despesas Pré Empenhadas a Empenhar)
  • DESPESAS_LIQUIDADAS_A_PAGAR (Despesas Liquidadas a Pagar)
  • DOTACAO_CANCELADA_E_REMANEJADA (Dotação Cancelada e Remanejada)

Utilização

Abaixo apresenta-se a estrutura da ferramenta:

Clica e Arrasta!

Vamos construir uma consulta exemplo para demonstrar o potencial da ferramenta e a funcionalidade clica e arrasta.

Exemplo: Despesas Empenhadas do IFB por Grupo de Despesa em 2017

  • Passo 1: Arraste o atributo “ANO” para o campo de linhas;
  • Passo 2: Filtre o ano de 2017 no atributo “ANO”;
  • Passo 3: Arraste o atributo “NO_UO” para o campo de linhas;
  • Passo 4: Filtre no atributo “NO_UO” a unidade orçamentária do IFB;
  • Passo 5: Arraste o atributo “NO_GRUPO_DESPESA” para o campo de linhas (abaixo da “NO_UO”);
  • Passo 6: Selecione a estatística “Soma”;
  • Passo 7: No campo de “métricas” que irá surgir selecione a métrica “DESPESAS_EMPENHADAS”.


O que é?


O IFB em Números é uma plataforma de indicadores de gestão, desenvolvida com o intuito de auxiliar os gestores na tomada de decisão, aliado ao princípio de transparência pública, permitindo a qualquer cidadão conhecer os números do IFB. A plataforma está em constante desenvolvimento, contando atualmente com os módulos de Ensino, Pesquisa, Censos, Indicadores e Administração.



Módulo Ensino


No Módulo de Ensino o usuário pode consultar dados referente ao quantitativo de alunos e cursos do IFB. Na aba de alunos é possível visualizar o total de alunos por cada Campus em uma determinada data, a evolução do número de alunos ao longo do tempo, o número de alunos por modalidade de ensino, bem como a taxa de evasão por Campus.

Na aba de cursos são apresentados o quantitativo de cursos por modalidade para cada um dos Campi do IFB em um determinado ano, bem como sua evolução ao longo dos anos.

Este módulo tem como fonte de dados o Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica (SISTEC).

Módulo Pesquisa


No Módulo de Pesquisa o usuário pode consultar dados referente às competências de pesquisa, grupos de pesquisa, iniciação científica e produção científica do IFB. A aba de competências de pesquisa permite ao usuário visualizar, por meio de um gráfico de redes, as competências agrupadas por pesquisador ou por Campus.

Na aba de grupos de pesquisa são apresentados os grupos e linhas de pesquisa do IFB, permitindo sua visualização por meio de um gráfico de redes para cada área predominante do grupo ou por cada Campus do IFB, bem como estatísticas do quantitativo de grupos e linhas de pesquisa.

Na aba de iniciação científica são apresentados dados de iniciação científica do IFB, permitindo sua visualização por meio de estatísticas do quantitativo de bolsas por programa financiador, nível de ensino e tipo de curso.

Na aba de produção científica são apresentados dados da produção científica do IFB por Campus, Pesquisador, Qualis, JCR e Nuvem de Palavras.

Este módulo tem como fonte de dados a Plataforma Lattes e só considera as competências de pesquisa e produção científica dos pesquisadores à partir da data de ingresso no IFB.


Módulo Censos


No Módulo de Censos o usuário pode consultar a série histórica do Censo da Educação Superior à partir de 2010. Contendo dados sobre docentes, técnicos e alunos.

Este módulo tem como fonte de dados o Censo da Educação Superior elaborado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP).


Módulo Indicadores


No Módulo de Indicadores o usuário pode consultar Indicadores do Tribunal de Contas da União (TCU), apurados pelo IFB como exigência do Relatório de Gestão, indicadores do Termo de Acordo de Metas (TAM) e indicadores de Permanência e Êxito (PE).

É possível visualizar os indicadores do TCU para o IFB e todos os institutos da Rede Federal, assim como visualizar a situação do IFB em relação à média da Rede Federal para cada um dos indicadores. Para os indicadores do TAM e PE os dados são apresentados para o IFB como um todo e para todas as suas unidades.

Este módulo tem como fonte de dados os Relatórios de Gestão da Rede Federal e o Sistema Nacional de Informações da Educação Profissional e Tecnológica (Sistec).


Módulo Administração


No Módulo Administração o usuário pode consultar dados do quantitativo de servidores, bem como dados do orçamento do IFB. Neste módulo é possível visualizar a evolução do total de servidores classificados entre técnicos e docentes, em exercício e lotados, por regime de trabalho e local de lotação. Também é possível acompanhar toda a execução orçamentária do IFB detalhando todos os gastos da instituição em suas diversas unidades.

Este módulo tem como fonte de dados o Sistema Integrado de Administração de Recursos Humanos (SIAPE) e o Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (SIAFI).


Requisitos


Para usufruir de todas as funcionalidades da plataforma IFB em Números é necessário a utilização dos navegadores Chrome ou Firefox em suas versões mais atuais.

Glossário


CBRA: Campus Brasília

CCEI: Campus Ceilândia

CGAM: Campus Gama

CPLA: Campus Planaltina

CRFI: Campus Riacho Fundo

CSAM: Campus Samambaia

CSSB: Campus São Sebastião

CTAG: Campus Taguatinga

CTGC: Campus Taguatinga Centro

EAC: Eficiência Acadêmica dos Concluintes

EAD: Ensino a Distancia

GCA: Gasto Corrente por Aluno

GCI: Gasto Corrente com Investimento

GCP: Gasto com Pessoal

GCO: Gasto com Outros Custeios

IFB: Instituto Federal de Brasília

JCR: Journal Citation Reports

RAP: Relação Aluno Professor em Tempo Integral

RCM: Relação de Concluintes por Matrícula

RCV: Relação Candidatos por Vaga

RFE: Retenção do Fluxo Escolar

RIM: Relação de Ingressos por Matrícula

TCD: Titulação do Corpo Docente




Equipe Responsável:


Coordenação de Informações Gerenciais e Estatísticas - CDIG

Coordenação Geral de Planejamento - CGPL

Diretoria de Planejamento e Orçamento - DRPO


Dúvidas, críticas e sugestões: filipe.pessoa@ifb.edu.br